HISTÓRIA

 O COLÉGIO JUVENAL DE CARVALHO foi fundado no dia 26 de abril de 1933 com sede em Fortaleza, Estado do Ceará, situado na Avenida João Pessoa, 4279, Damas.

O Arcebispo Dom Manuel da Silva Gomes com a ajuda do Cel Juvenal de Carvalho e do Cel Ananias Arruda organizaram e acolheram as Irmãs que fizeram parte da primeira comunidade das Filhas de Maria Auxiliadora: Ir. Luizinha Denegri, diretora, Ir. Ester A. Pereira, Ir. Angelina Rossato, Ir. Edith Almeida e Ir. Benedita Zoé Figueiredo.

Enquanto o colégio ficava pronto as Irmãs foram acolhidas na comunidade de Baturité, no Instituto Nossa Senhora Auxiliadora e no Dispensário das Irmãs Vicentinas.

A inauguração da casa foi marcada para o dia 26 de abril. O jornal “O Nordeste” comunicou ao povo da cidade a inauguração e as Irmãs distribuíram convites para as autoridades escolares, civis, religiosas e às principais famílias de Fortaleza.

O dia 26 de abril foi o grande dia: inauguração da casa de Fortaleza. Toda a cidade de Fortaleza tomou conhecimento e o jornal registrou o acontecimento. “O Nordeste” do dia 27 de abril, publicou “INAUGUROU-SE, ONTEM, O COLÉGIO MARIA AUXILIADORA”.

Após as festas de inauguração da nova casa- colégio que tem o nome de Maria Auxiliadora, no dia seguinte, foi visitá-lo o grande benfeitor que lhe deu o nome de “Fundação Cel. Juvenal de Carvalho”. No frontispício da Casa estava escrito “Colégio Maria Auxiliadora. Fundação Cel. Juvenal de Carvalho     . Ficando depois conhecido o colégio com o nome do Colégio Juvenal de Carvalho.

No dia 30 de abril iniciou-se, também com uma inauguração, o Oratório Festivo com 50 crianças. Foi, portanto o “Oratório Festivo”, a obra inicial do Colégio de Fortaleza. Funcionava ao lado do prédio antigo, debaixo de uma frondosa mangueira, à esquerda do colégio, na rua que hoje tem o nome de Alexandre Baraúna.

Sob a sua sombra amiga, foram acolhidas, correram, pularam, rezaram e cantavam as primeiras oratorianas. A mangueira sobreviveu durante muito tempo e para as primeiras Irmãs ela foi uma História. As oratorianas dos primeiros tempos, entre elas Maria Helena do Nascimento, Helena Ferreira e Maria Antonieta da Conceição, recordam das Irmãs, da velha casa e dos animados recreios debaixo da “mangueira”, e sobretudo das aulas de “Catecismo”.

No dia 1° de maio começaram as inscrições para as alunas externas. Esta, diferentemente das promessas, são muito poucas pelo fato de o ano já estar adiantado. No dia 6 de junho as Irmãs homenageiam com uma visita e a participação na Santa Missa, celebrada na residência do Cel Juvenal de Carvalho, a Sra Maria Joana de Carvalho (D. Joaninha), esposa do benfeitor, que completa 92 anos.

Os inícios de uma fundação são sempre difíceis e junto com a proposta missionária do grupo estão presentes as necessidades fundamentais de vida. As Irmãs encontraram ajuda na superiora do Dispensário, Ir. Galzy, O bispo também não deixou de acompanhar e dar seu apoio amigo, procurando atender as exigências espirituais da comunidade recém formada. A proximidade das Irmãs de Baturité, lhes deram segurança e as pessoas amigas constituíram uma força para a missão das FMA em Fortaleza.

A primeira Diretora do Colégio Juvenal de Carvalho foi Ir. Luizinha Denegri, natural de Gênova, da Itália veio para o Brasil com 22 anos apenas e deu o melhor de sua inteligência e trabalho.

Soube vencer as dificuldades iniciais e esteve como Diretora em dois períodos de 1933 a 1938; de 1946 a 1951. A ela o Colégio Juvenal deve muito. O início do curso ginasial, o 1° Colégio de Religiosas com o curso Ginasial, a construção da 2ª parte do prédio- parte frontal e da direita, o internato numeroso, logo no início.

O dia 10 de maio marcou os inícios do funcionamento do Colégio. O Jornal “O Nordeste” publicou, a respeito, em artigo, no dia 15 de maio. Um grupo de uma dezena de crianças encheu o novo colégio. Entre elas estavam: Stela Frota, a primeira a ser matriculada, Juliana e Angelita Gonçalves, Teresinha e Carmen Furtado que depois se fizeram FMA e eram sobrinhas do Cel Ananias, Eulália e Maria Luiza Vieira, que residiam em frente do Colégio, Margarida Gaspar e várias outras jovens.

A primeira festa de Madre Mazzarello, que se comemorou no dia 14 de maio, consistiu numa modesta homenagem. Foi no primeiro 24 de maio em Fortaleza que a festa se fez mais solene: festa de Nossa Senhora Auxiliadora. O Arcebispo celebrou a Santa Missa e numa sala de aula as oratorianas e as alunas fizeram uma bonita homenagem a Nossa Senhora e agradecimentos especiais ao Sr. Bispo e ao grande benfeitor da obra Cel Juvenal de Carvalho.

No dia 1° de junho teve início a escola Noturna com trinta jovens. No dia 3 de julho entrou a primeira aluna interna: Thais Frota Souza Pinto, no dia 7 a segunda: Margarida Teófilo Girão e no dia 1° de agosto chegou ao colégio a terceria aluna do internato: Maria Angelita Gomes Gonçalves.

As práticas religiosas próprias do Instituto, a composição dos ambientes, as tradições devocionais foram acontecendo com rapidez. Com muita freqüência o arcebispo visitava as Irmãs e o Cel Juvenal de Carvalho estava sempre atento e presente na construção que idealizou. Primeiras comunhões de oratorianas e alunas externas foram respostas ao empenho missionário e ao objetivo da comunidade.      Durante este tempo, surgiu  no horizonte, a esperança da vinda dos salesianos para Fortaleza.

Assim o tempo foi passando e o colégio foi se fortalecendo com o espírito missionário salesiano. Ficou definitivamente com o nome de Colégio Juvenal de Carvalho, porém sempre sob a proteção de Nossa Senhora Auxiliadora. Durante todos estes anos o colégio foi acompanhado pelas diretoras:

Ir. Luiza Denegri (1933 – 1938)

Ir. Pierina Uslenghi (1939 – 1940)

Ir. Madalena Mazzoni (1941)

Ir. Constança Storti (1942- 1945)

Ir. Luiza Denegri (1946- 1951)

Ir. Olga Salgado (1952-1957)

Ir. Giselda de Almeida Jurema (1958-1963)

Ir. Arabela Duarte Benevides (1964-1970)

Ir. Eddy Oliveira Coelho (1971-1972)

Ir. Izabel Sales Cartaxo (1973-1978)

Ir. Natércia Vieira da Costa (1979- 1981)

Ir. Giselda de Almeida Jurema (1982-1987)

Ir. Maria Eustele Carvalho (1988-1990)

Ir. Maria José Cavalcante Barros (1991-1996)

Ir. Maria José Alves Silva (1997-2002)

Ir. Djanice Maria da Penha de Lima (2003-2004)

Ir. Maria José Alves Silva (2004-2009)

Ir. Maria José Cavalcante Barros (2010- 2015)

Ir. Elizabeth Pastl Montarroyos (2016-2017)- atual diretora.

Hoje o Colégio Juvenal de Carvalho funciona com a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e o Ensino Médio diurno e noturno.

O Colégio Juvenal de Carvalho realiza a sua missão integrados como “Comunidade Educativa, com os mesmos sonhos, no grande sonho de educação dos nossos fundadores São João Bosco e Santa Maria Mazzarello. Educando evangelizando, na fé, na esperança, no amor, amparados na plataforma do Carisma Salesiano”. Todas as atividades acadêmicas, culturais, esportivas, artísticas, religiosas ganham espaço na formação do ser humano integral porque acreditamos que Deus está presente na nossa história e nos prepara para um encontro com Ele; assim o mundo é o lugar onde Deus se revela a nós. Nossa Senhora Auxiliadora é presença tanto na gênese como em toda caminhada da Família Salesiana. Qualificamo-nos e trabalhamos a serviço da vida, considerando-a como maior dom de Deus. O otimismo e o humanismo Salesiano, assimilado de São Francisco de Sales, fundamenta a Pedagogia e a Espiritualidade de Dom Bosco e Madre Mazzarello, dando-nos a certeza de que caminhamos sempre para o bem. A Educação se dá no cotidiano: na interação no ambiente educativo e na relação entre educador e educando. Acreditamos no valor das diversas atividades culturais, artísticas e esportivas, como possibilidades de desenvolvimento das múltiplas habilidades do humano, como também, o senso de justiça, respeito e solidariedade.

O Colégio Juvenal de Carvalho foi crescendo e se tornando uma casa de educação segundo o coração de Dom Bosco e Madre Mazzarello que sob as bênçãos de Maria Auxiliadora, vem educando gerações de crianças, adolescentes e jovens.